Agência Virtual

2ª Via de Boleto
Quero conhecer as vantagens da Agência 24 horas

Mercado Imobiliário

Perspectivas para o mercado imobiliário em 2019

12/12/2018 por Redação Guarida

Com perspectivas de recuperação da economia, o momento é bom para comprar imóveis. Confira mais detalhes sobre o que esperar do mercado imobiliário em 2019!

Depois da crise econômica e com a eleição de um novo candidato para a presidência do país, o setor imobiliário mostra perspectivas de recuperação. Para quem deseja realizar o sonho da casa própria ou tem a intenção de investir em imóveis, especialistas afirmam que o momento é propício. Além da retomada dos lançamentos, os preços pararam de cair.

Em 2018, por exemplo, os lançamentos de imóveis tiveram alta de 119,7% no segundo trimestre em relação ao primeiro trimestre do ano. Já a venda de imóveis no país aumentou 17,3% no segundo trimestre deste ano, na comparação com o trimestre anterior. Em relação ao mesmo trimestre de 2017, houve alta de 32,1%. Os dados foram divulgados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) em pesquisa recente.

Em termos de crédito, diversas mudanças vêm sendo realizadas na regulamentação para estimular a oferta de financiamento que partiria não apenas dos bancos públicos, mas também dos privados. Um cenário que pode contribuir para arejar o mercado.

Quem quiser utilizar os recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para adquirir a casa própria, já pode financiar imóveis de até R$ 1,5 milhão imediatamente. A antecipação da elevação do limite, que estava prevista apenas para 2019, foi uma demanda de mercado imobiliário aprovada pelo Banco Central (BC) recentemente. Até a mudança, os limites em vigor eram de R$ 950 mil para imóveis em São Paulo, Rio, Brasília e Belo Horizonte e R$ 800 mil no restante do país. Agora, o teto de R$ 1,5 milhão passa a valer de forma definitiva para todos os municípios brasileiros.

Além disso, a partir de 2019, não haverá mais obrigatoriedade de aplicação dos recursos pelas condições do Sistema Financeiro de Habitação. Isso significa que bancos e compradores poderão negociar livremente as taxas de juros. Quando não houver recursos do FGTS envolvidos no negócio, também não haverá limite para o valor do imóvel financiado. Haverá ainda liberdade para decidir o índice que vai corrigir o valor dos contratos, o que facilita as negociações e incentiva a concorrência entre as instituições financeiras.

A eleição do novo presidente também gerou mais confiança no mercado, principalmente entre os investidores. Se conquistar a maioria no Congresso, o presidente eleito terá mais facilidade para aprovar reformas estruturais, como a da Previdência. As expectativas são de desburocratização e melhoria do ambiente de negócios. Além disso, espera-se uma interrupção no avanço do desemprego e crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

Há também a previsão de um aumento da taxa Selic em 2019 para 8% ou 8,5%, frente aos 6,5% atuais. A manutenção dos juros em níveis baixos barateia o financiamento imobiliário, o que é positivo para quem pretende comprar a casa própria. Para quem planeja investir em imóveis, o juro baixo torna o retorno obtido com o aluguel mais atraente do que o rendimento dos investimentos tradicionais de renda fixa.

Outro destaque é a estabilização dos preços, o que significa que o preço dos imóveis deve voltar a crescer no mesmo ritmo da inflação, interrompendo uma sequência de três anos de desvalorização. Sendo assim, quem sair na frente pode obter melhores negociações.

Se esta for a sua intenção, uma dica é pesquisar com calma nos mais diversos agentes financeiros e contar sempre com o acompanhamento de um corretor de imóveis credenciado, profissional este que irá lhe auxiliar durante todo o processo de compra.

Entre em contato com a Guarida Imóveis para garantir segurança no seu investimento em imóveis para o próximo ano.

Sobre o autor

Redação Guarida

Anterior Próximo

Deixe o seu comentário

Indique este post

Por favor, preencha os dados abaixo: