Agência Virtual

2ª Via de Boleto
Quero conhecer as vantagens da Agência 24 horas

Matérias Especiais

O óbvio elevado ao quadrado

02/01/2019 por Julio Cesar Soares da Silva

Ser ou ter? Eis a questão: a partir desta máxima, comecei a refletir sobre o assunto e meus neurônios logo entraram em conflito, travando uma guerra santa. Dividiram-se em duas correntes: A mais ansiosa delas saiu logo defendendo a tese de que a diferença entre o ser e o ter não era palco para grandes discussões, uma vez que se tratava de assunto óbvio, ou seja, que na vida, independentemente da questão material, temos que ser pessoas especiais voltadas para o bem comum, precisamos dar valor à vida, enfim, vivermos e sermos felizes.

A outra corrente, por sua vez, defendia o cúmulo da obviedade, alegando que: se sabemos, por meio de exemplos do dia-a-dia e de farta literatura motivacional, que a felicidade habita em nosso interior, que não depende de terceiros, mas sim de nós mesmos,  qual a razão para resistirmos a ela? Por que não raras vezes sabotamos nossa própria vida, deixando de aproveitar as oportunidades que surgem, devido ao medo e a insegurança? Quando saímos da caixa em que estamos acostumados a viver dispostos a uma reflexão, tendo como parâmetro o Universo, concluímos que nossos problemas, medos, traumas, mágoas, angústias, desafetos, enfim, sentimentos negativos, são tão pequenos diante dos problemas dos outros, que não nos damos conta de que somos felizes e não sabemos.

Esses sentimentos ruins, responsáveis pelas famosas depressões, cuja cura na maioria das vezes, depende única e exclusivamente do estado psicológico e emocional do afetado, são a causa da segunda corrente conceituar  o  ser, “como o óbvio elevado ao quadrado”.
Depois de analisar atentamente e com cautela a calorosa discussão entre os meus neurônios, resolvi intervir e acabar logo com a algazarra. Sugeri-lhes que entrassem num acordo e chegassem a uma conclusão sábia.
Assim o fizeram. Trataram de se organizar e chegaram ao entendimento que para “ser” alguém especial, digno de uma morada no espaço celestial, devemos ser diferentes, enxergarmos com os olhos de uma águia as entrelinhas da vida, vislumbrando do mais alto voo, independente de sol ou temporal, o lugar aonde queremos chegar.
Como já devem ter percebido, não se trata mais de “ser ou ter”, mas do “ser ou ser“.

Se optarmos por sermos um perdedor, um pessimista, um infeliz, o que seremos?  Caso optemos pela felicidade, por viver a vida apreciando e extraindo o que há de melhor, por certo, seremos vencedores, otimistas e felizes.

Na verdade, não existe certo ou errado, o que existe é o nosso estado de espírito, pois somos exatamente aquilo o que pensamos.  Por isso, devemos sempre estar sintonizados com a alegria, a solidariedade, o amor e fazendo com que esses sentimentos interajam com as nossas mentes e corações e com as pessoas que estão a nossa volta.

Que me desculpem as duas correntes dos meus neurônios, mas o óbvio só é óbvio para a mente preparada.
Portanto, estejam preparados para aproveitar o ano de 2019 com muita fé, trabalho, esperança e otimismo, sem dúvida alguma, são ingredientes indispensáveis para quem quer atingir o sucesso e a felicidade.

Feliz Ano Novo!
Até a próxima! 

 

Sobre o autor

Julio Cesar Soares da Silva

Diretor-presidente

Anterior Próximo

Deixe o seu comentário

Indique este post

Por favor, preencha os dados abaixo: